Faetec garante calendário de concurso para as Faeterjs

Diretores das Faculdades de Educação Tecnológicas do Estado do Rio de Janeiro (Faeterjs) relataram, durante a audiência pública na Comissão de Educação da Alerj, as dificuldades que passam devido à falta de docentes, à evasão dos estudantes e à incerteza na continuidade dos cursos nas unidades. Segundo Hudson dos Santos, da Faeterj de Paracambi, eles começaram o ano com 11 professores a menos, devido ao fim dos contratos de 2009 e 2010. Com isso, muitos alunos foram para outras universidades do Estado.

O vice-presidente educacional da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), Ubirajara Cabral, anunciou que, até o final do ano, vai realizar um calendário de concursos públicos para docentes das Faeterjs.

“Esta sendo feito esse mapeamento das necessidades internas para que até o final do ano a gente possa ter um quadro definido. Essa é uma diretriz do presidente da Faetec, Wagner Victer”, afirmou Ubirajara.

O Presidente da Comissão de Educação da Alerj, deputado Comte Bittencourt, que tem visitado as unidades da Faeterj pelo Estado afirmou que existem unidades com mais de 90% dos professores contratados.

“Isso não pode acontecer, em hipótese algum”, disse o parlamentar.

A diretora da Faculdade de Educação Tecnológica de Petrópolis, Lucimar Cunha, informou que no município, a situação é semelhante.

“Mais de 75% dos nossos professores da Faeterj são contratados”, completou Lucimar.

Segundo ela, na unidade petropolitana, um dos principais empecilhos para um melhor desempenho é a falta de autonomia para realização de linhas de pesquisa, definição dos projetos de extensão e identidade.

“Precisamos modificar a Lei, para permitir que a Faeterj seja uma unidade que possa funcionar com todas as suas capacidades”, afirmou a professora.

Para minimizar esses problemas, a comissão vai incluir no Plano Estadual de Educação (PEE), através de uma lei, o papel das Faeterjs.

“Nós não fizemos essa previsão no PEE e, depois desse debate de hoje, nos parece que é uma forma de atender as demandas do interior do Rio por esses cursos tecnólogos”, garantiu Comte.

As direções do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (Iserj) e do Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (Isepam) também estiveram presentes à audiência.

Posts recentes