Comissão de Educação quer que o reajuste dos professores deste ano seja, pelo menos, igual ao dos servidores do MP, TCE e Alerj

Após a audiência realizada nesta quarta-feira (03/08), na Alerj, com representantes do SEPE e da UPPEs, o presidente da Comissão de Educação, deputado Comte Bittencourt (PPS), se reuniu e propôs aos deputados membros, apresentar uma emenda para a mensagem do governo sobre a antecipação do Nova Escola e o aumento para 6,51% para o percentual de reajuste dos professores do estado. Os parlamentares também estão querendo criar um dispositivo para o reajuste salarial da categoria, fixando um valor mínimo para a proposta dos anos de 2012, 2013 e 2014 com base no INPCA acumulado. Para o deputado está é uma crise de Estado e não apenas desse Governo e é necessário a união de todos os parlamentares, independente de seus partidos ou de sua bancada. “Essa proposta, ainda que insatisfatória é um avanço no impasse das negociações dessa greve que já dura 58 dias” ,afirmou Comte.

A Comissão destacou sua preocupação com a falta de atratividade da carreira do Magistério e da real importância que a remuneração digna tem neste processo.

A representante do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), Guilhermina Rocha afirmou que o sindicato é contrário à criação do novo cargo de professor com 30 horas semanais. “Não adianta criar cargos sem a valorização do profissional. Sabemos que o Governo avançou, mas as propostas enviadas à Alerj não refletem uma política de valorização”, reclamou. A diretora da União dos Professores Públicos no Estado (Uppes) Maria Lucia Sardenberg, ressaltou a necessidade da profissão se tornar atraente: “A realidade hoje é a de professores abandonando a carreira”, citou.

Na próxima quarta-feira (10/08), a comissão recebe o secretário de Estado de Educação, Wilson Risolia, para tratar de diversos assuntos, dentre eles o reajuste dos professores.

Posts recentes