Comissão de Educação acredita que secretaria deve rever o modelo de escolha de diretores da rede

Desde fevereiro do ano passado, a Secretaria de Estado de Educação implantou concurso para a seleção dos gestores da rede. Apesar de defender a eleição de diretores pela comunidade escolar, o deputado Comte Bittencourt (PPS) acredita que, o atual modelo que poderia acabar com as indicações políticas, ainda não é a melhor solução.

“O modelo misto, usado aqui no município do Rio, parece mais adequado. Eles conciliam o mérito, a qualificação e o preparo com a liberdade de escolha da comunidade escolar”, afirma o parlamentar.

A maioria das denúncias recebida pela Comissão foi sobre a 3ª fase do concurso, que é uma análise do currículo e do perfil do candidato. Segundo o subsecretário de gestão de pessoas da secretaria, Luiz Becker, todo o processo está sendo realizado pela Ceperj, inclusive a análise de perfil e que a seeduc apenas informa à fundação as habilidades e competências que aquele profissional deve ter. E concluiu dizendo que “nem sempre um bom professor é um bom gestor”.

A Comissão tem recebido denúncias sobre o grande número de diretores, inclusive os eleitos pela comunidade, que estão sendo substituídos por outros profissionais que não foram eleitos e nem passaram pelo processo de seleção.

O deputado Comte informou aos representantes da secretaria que foram enviados dois requerimentos de informação e que espera respostas o mais rápido possível. O primeiro é para saber quantos diretores foram exonerados desde a entrada do Secretário Wilson Risolia e os motivos. O outro requerimento é sobre a compra de merenda em 3 (três) colégios estaduais de Nova Iguaçu.

A Comissão de Educação aproveitou e marcou para o dia 15 de agosto audiência público sobre a transparência na compra da merenda escolar.

Estavam presentes a audiência de hoje (01/08), os deputados membros da Comissão e representantes do Sepe, da Uppes, do Instituto Rangel Pestana e da Secretaria de Estado de Educação.

 

 

Posts recentes