Em 18 de maio, 2011, por Hyury

Secretaria de Educação começa audiência apresentando relatório com informações antigas à Comissão

“A Secretaria de Estado de Educação investiu R$ 300 milhões de reais em tecnologia e essa é a segunda reunião que realizamos após a Lei de Responsabilidade Educacional entrar em vigor. A Seeduc ,até o momento, está repetindo os mesmos dados que foram apresentados  no ano passado pela outra secretária”, criticou Comte Bittencourt (PPS), presidente da Comissão de Educação assim que começou a apresentação da equipe da Secretaria de Educação, na audiência realizada hoje (18/05) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio. Segundo o deputado, há anos os Governos investem recursos nos seus sistemas de gestão e até o momento não conseguiram apresentar os índices atualizados que pede a Lei e continuam utilizando as estatísticas do Mec e Pnad.  

O relatório educacional foi apresentado pelo subsecretário de Gestão da Rede e de Ensino de Educação, Antônio Paiva Neto. No documento apresentado, o estado conta com 1.175 milhão de alunos matriculados nos ensinos Médio e Fundamental. Sobre a taxa de analfabetismo, Neto frisou que entre os alunos com idades que variam de 10 a 14 anos, o índice fluminense caiu de 1,3%, em 2009, para 0,6% de analfabetos, em 2010. Os alunos com mais de 15 anos, o número de analfabetos em 2009 foi de 4,8% e diminuiu em 2010 para 4,0%. Segundo o subsecretário, ele considera um dos aspectos mais problemáticos é a distorção idade/série que diminuiu de 45% para 40%.

O relatório mostrou que existem 76.963 professores ativos na rede estadual, e que o governo, já autorizou a contratação de temporários. Comte Bittencourt disse, que a falta de professores ainda é uma realidade que preocupa a comissão. “Para mim o mais preocupante é a questão dos professores. A rede tem uma carência enorme desses profissionais, apesar de ter realizado concurso público e contratado quase 30 mil novos professores. A questão do estado do Rio continua sendo o investimento. A cada dia, 22 professores deixam a rede”, lembrou o presidente da comissão que concluiu dizendo que “um salário de R$ 740,00 não motiva a sociedade a procurar a carreira de docente”.

Sobre a infraestrutura das escolas, o documento apontou que, dentre as 1.452 escolas estaduais, 1.087 contam com laboratórios de informática, 1.044 delas possuem bibliotecas, 1.378 contam com quadras poliesportivas e 446 com laboratórios de ciências.

Também participaram da reunião os deputados membros da Comissão, além de representantes do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio (Sepe-RJ) e da União dos Professores Públicos no Estado (Uppes).

Trajetória

@comte_educacao

Informativos em PDF

Fique por dentro do boletim informativo Comte, clique e veja.