Em 03 de fevereiro, 2010, por Hyury

Problema no telefone de matrículas da rede estadual é discutido na Alerj

Site SRZD
Renata Rosas | Estado do Rio

Sob os olhares atentos de representantes do Sindicato Estadual dos Professores de Educação (SEPE), a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) se reuniu, pela primeira vez em 2010, nesta quarta-feira, para discutir os projetos e programas da Secretaria Estadual de Educação para este ano.

Iniciando a sessão, o presidente da Comissão, deputado Comte Bittencourt (PPS), disse que 2009 foi o melhor ano para a educação do Estado. “Fechamos o ano passado com chave de ouro, com a aprovação do Plano Estadual de Educação, que definiu metas para o futuro do setor, mas espero que isso não seja motivo de desmobilização por parte das autoridades, já que ainda temos muito a melhorar”, ressaltou ele.

Comte abriu o debate afirmando que, para este ano, é preciso discutir a educação inclusiva nas escolas. “Precisamos atender os alunos com deficiência e implementar salas com recursos para eles”. Além disso, segundo ele, será preciso debater questões como o alto índice de reprovação nas escolas. Em seguida, a secretária de Estado de Educação, Tereza Porto, também presente na mesa, apresentou as conquistas feitas na área e explicou os problemas que deixaram os telefones fora do ar na segunda fase da pré-matrícula da Rede Estadual de ensino.

Tereza contou que mais de 130 mil estudantes já foram alocados nas escolas e que ainda há vagas para todos que ainda não estão matriculados. No entanto, por um problema da empresa Oi, que realizava o serviço de atendimento, a rede caiu e as pessoas que tentaram ligar não conseguiram. Para que isso não aconteça mais, segundo a secretária, foram contratados 120 call-centers para evitar congestionamento nas linhas telefônicas.

Ela orienta que só precisa ligar quem ainda não fez a pré-matrícula na primeira fase e vai cursar o 6º ano e o 1º ano do ensino médio. “A linha ficou congestionada porque os alunos já matriculados começaram a ligar para solicitar outras coisas, como mudar de colégio. Foram recebidas cerca de 29 mil chamadas, mas 39% delas nada tinham a ver com a pré-matrícula”, ressaltou. Tereza afirmou, ainda, que o call-center vai funcionar todos os dias, inclusive nos fins de semana, de 8h às 22h.

Ao comentar sobre as conquistas em 2009, a secretária deu ênfase à inserção das tecnologias nas escolas. “Criamos e-mail para todos os professores da rede estadual, com o objetivo de facilitar a comunicação entre eles, e entregamos um laptop para cada um”, disse ela, citando também a criação do portal Conexão Professor e Conexão Aluno para estreitar a relação entre eles. Ainda de acordo com Tereza, a partir da próxima segunda, quando começam as aulas, os alunos vão ganhar, gradativamente, um cartão magnético com um chip, que vai permitir o acompanhamento do perfil de cada um deles.

Em contrapartida a esta questão, a professora Vera Nepomuceno, representante do SEPE, presente ao encontro, lembrou que não adianta um esforço grande com a tecnologia se o magistrado não for valorizado. “O profissional da educação tem, em média, um salário de apenas R$ 700 e, por isso, o setor tem sofrido com o problema da falta de professores, que optam por trocar a rede estadual por outra com melhor salário”, alertou ela.

Vera ressaltou ainda que valorizar e reconhecer a importância do magistério nas escolas é o principal caminho para melhorar o ensino e o interesse dos alunos. “Parte da educação se aprende na escola e os jovens que estamos formando são aqueles que irão votar, ainda este ano, no próximo presidente do Brasil e escolher o futuro da nossa nação”, desabafou ela.

Trajetória

@comte_educacao

Informativos em PDF

Fique por dentro do boletim informativo Comte, clique e veja.