Em 23 de fevereiro, 2011, por Hyury

Jogo de empurra entre empresas de ônibus e estado deixa alunos a pé

Lara só pode ir à escola a pé
Com o RioCard sem validação, estudante precisa caminhar uma hora para chegar ao colégio onde estuda em Belford Roxo

Após uma semana sem ir à escola por não conseguir validar o cartão RioCard, a estudante Lara de Souza, de 12 anos, conseguiu voltar a estudar no colégio estadual onde está matriculada em Belford Roxo. Mas para chegar à escola precisou caminhar durante uma hora, pois, mesmo com o início do ano letivo, ela continua sendo barrada nos ônibus, apesar de ter o RioCard.

A situação da adolescente, assim como a de outros estudantes novos do Colégio Estadual Presidente João Goulart, segue sem solução. Apesar de a Secretaria estadual de Educação (Seeduc) ter prometido para a sexta-feira passada a instalação de um validador para os cartões na escola, nada foi resolvido até ontem à tarde.

A Fetranspor e Secretaria estadual de Educação (Seeduc) mantêm o jogo de empurra na hora de assumir a responsabilidade sobre os cartões. Enquanto a Fetranspor garante que a instalação dos validadores é com a Seeduc, a secretaria reforça que a federação não está colaborando para atender os estudantes que ainda enfrentam problemas com o RioCard.

Amanhã, às 11h, as secretarias de Educação e Transportes se reunirão com a Fetranspor para discutir os problemas relacionados aos cartões dos estudantes, incluindo o caso da escola João Goulart. O encontro estava marcado para ontem, mas foi adiado.

Trinta dias

A Fetranspor reconheceu que o problema, afirmando que o software estava desatualizado em parte das empresas de ônibus da região, e reforçou que ele foi solucionado ainda na semana passada.

— A Fetranspor terá que explicar o motivo de as empresas não deixarem os alunos seguirem viagem. Em janeiro, a Seeduc enviou um ofício à federação solicitando que o aluno com problemas no cartão pudesse embarcar só com o uniforme por um período de 30 dias. Era o nosso prazo até atualizarmos todos os cadastros — disse o subsecretário de Infraestrutura e Tecnologia da Seeduc, Sérgio Mendes.

Falha no uso dos cartões chega à Alerj

O presidente da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), Comte Bitencourt (PPS), já recebeu diversas denúncias sobre o problema do Riocard. Hoje, está marcada uma audiência para tratar do assunto na assembléia.

— A ganância das concessionárias e a falta de bom senso da secretaria vão contra o maior esforço do país, que é levar o aluno para dentro da sala de aula — disse o deputado.

Após a audiência, o deputado pretende enviar uma: sugestão à Secretaria de; Educação, para que a Fetranspor e as escolas adotem, no início do ano letivo, -a mesma conduta praticada * com o uniforme escolar.

— Enquanto o cadastro não estiver certo, durante os quinze primeiros dias do ; ano, o ideal seria que o estudante pudesse passar sem cartão — sugeriu Comte.

Aline Custódio
Colaborou Guilherme Amado
Extra

 

 

Trajetória

@comte_educacao

Informativos em PDF

Fique por dentro do boletim informativo Comte, clique e veja.