Em 16 de dezembro, 2010, por Hyury

Deputados estaduais eleitos são diplomados no Theatro Municipal

Site Alerj

Os setenta deputados eleitos para a 10ª legislatura na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) foram diplomados pelo Tribunal Regional Eleitora do Rio (TRE-RJ) na tarde desta quinta-feira (16/12). O evento, que ocorreu no Theatro Municipal, conferiu aos parlamentares os certificados que confirmam a legalidade de sua eleição. Também foram diplomados pelo TRE os 46 deputados federais e dois senadores que representarão o estado no Congresso Nacional a partir de fevereiro de 2011. Além deles, receberam seus diplomas os quatro suplentes dos senadores eleitos, o governador Sérgio Cabral e seu vice, Luiz Fernando Pezão. O presidente do TRE, desembargador Nametala Jorge, que conduziu a solenidade, elogiou o processo eleitoral deste ano, que, segundo ele, transcorreu de forma mais tranquila do que em campanhas anteriores. “Além de diplomar os eleitos e encerrar o processo eleitoral propriamente dito, esse encontro celebra eleições realizadas na mais completa harmonia”, disse ele, que elogiou a população e as instituições, dentre as quais a Alerj, pela ajuda no processo. “Apenas o TRE não teria sido o suficiente para garantir tamanha tranquilidade”, afirmou.

Nametala também exaltou a política de pacificação em comunidades do Governo do Estado. “Que permitiu ao TRE ingressar e fazer a fiscalização em áreas antes inacessíveis, garantindo uma campanha justa”, lembrou, defendendo que a possibilidade de acesso a estes lugares contribuíram para um resultado eleitoral que refletiu os desejos dos eleitores. “Hoje os senhores podem ter certeza de que são depositários da fé e da esperança do povo fluminense”, discursou. O vice-governador Pezão, que se prepara para iniciar mais um governo ao lado de Sérgio Cabral, afirmou que as conquistas de áreas tomadas pelo tráfico serão ampliadas. “Vamos continuar com nossa bem sucedida política de enfrentamento e teremos boas surpresas”, garantiu ele, que definiu o próximo governo como uma administração voltada para o desenvolvimento do estado. “Teremos um calendário extraordinário, com muitas obras que, impulsionadas pela realização da Copa e das Olimpíadas, melhorarão o transporte, o saneamento, impactando positivamente a vida da população do estado”, disse.

Pezão foi o segundo político eleito a ser diplomado, depois do governador Sérgio Cabral. Em seguida foram certificados os eleitos para o senado, Lindberg Farias e Marcelo Crivella, e seus suplentes. Na sequência, os 46 deputados federais fluminenses, e por fim os deputados estaduais. Chamados por ordem de votação, o primeiro a ser diplomado foi o recordista de votos Wagner Montes (PDT). Do alto de seus 528.628 votos, ele afirmou que a população está mais atenta e que os parlamentares estão sendo mais cobrados. “É bom que façam um bom trabalho, para não serem cobrados depois”, recomendou, lembrando que deputados muito votados em 2006 não se reelegeram e outros eleitos com votação pequena estão sendo reconduzidos consagrados. “O povo tá de olho”, disse.

Aclamado pelos colegas, que o aplaudiram de pé, o deputado decano Gerson Bergher (PSDB), assumindo seu quarto mandato aos 85 anos, anunciou disposição para defender a moralização do Parlamento e apresentar projetos “úteis e de combate à corrupção” na Alerj. Também muito aplaudida, Clarissa Garotinho (PR), a mais jovem mulher eleita, com 28 anos, disse que a votação expressiva (118.863 votos – a quinta maior), lhe confere a responsabilidade necessária para atuar com seriedade. “Minha expectativa é exercer o mandato com dignidade e seriedade. Quero tratar o povo como deve ser tratado, com dignidade”.

A Casa passará por uma expressiva renovação: dos 70 eleitos, 31 serão novos e, destes, apenas cinco (Samuel Malafaia, Ricardo Abrão, Marcus Vinícius, Nilton Salomão e Atila Nunes) já tiveram passagens pelo Legislativo estadual antes. A representatividade feminina também será ampliada: a bancada aumentou de oito para 13 parlamentares. Alterações foram registradas ainda na composição das bancadas partidárias. A mudança mais significativa veio do PDT, que hoje tem seis parlamentares e passará a ter 11. O PMDB, partido do governador reeleito Sergio Cabral Filho, também terá seu número de deputados modificados, mas para menos: de 19 cadeiras ocupadas hoje, a legenda contará com 12 nos próximos quatro anos. O PHS, que conta com um deputado na Casa, ficará sem representante no próximo mandato. Mas o Parlamento ganhará a representação de três partidos que, hoje, não figuram entre seus componentes: PRTB, PV e PRP. Cabe ressaltar que entre os 29 novos deputados para o próximo mandato, 12 são vereadores em exercício de mandato, sendo quatro da capital, dois de São Gonçalo, dois de Nova Iguaçu, um de Petrópolis, um de Belford Roxo, um de Niterói, e um de Duque de Caxias. Os parlamentares serão empossados no dia primeiro de fevereiro.

Comte Bittencourt (PPS)
Irá exercer seu terceiro mandato, após receber 45.541 votos. Nas duas últimas legislaturas presidiu a Comissão de Educação da Casa, e comandou a elaboração do Plano Estadual de Educação. Tem atuação política predominante no município de Niterói.

Trajetória

@comte_educacao

Informativos em PDF

Fique por dentro do boletim informativo Comte, clique e veja.