Em 02 de dezembro, 2009, por Hyury

Comissões de Educação e de Cultura realizam audiência pública conjunta

Em audiência pública realizada hoje (2/12) pelas Comissões de Educação e de Cultura da Assembleia Legislativa do estado do Rio, com o objetivo de uma maior integração entre as duas áreas, ficou decidido que o parlamento vai pedir ao Poder Executivo que amplie a quantidade de passes livres para que os alunos da rede estadual de ensino tenham mais acesso a espetáculos culturais.

“Abrimos hoje uma reflexão na Assembleia sobre a necessidade da atuação em conjunto dessas duas comissões. A cultura tem papel de muita importância no processo de formação do cidadão, e essa articulação é o caminho para uma melhor formação de todos os seres humanos, em vários aspectos. Infelizmente os projetos de cultura nas escolas, em geral, são poucos. E escola e cultura precisam caminhar juntas para agregar valores humanos para o enriquecimento e o crescimento da sociedade”, defendeu o deputado Comte Bittencourt (PPS), presidente da Comissão de Educação.

O mesmo pensa o presidente da Comissão de Cultura, deputado Alessandro Molon (PT), que afirma que ser fundamental estimular o acesso dos estudantes a museus, teatros e cinemas. “O transporte no Rio é muito caro e sabemos que isso, muitas vezes, inviabiliza a ida dos alunos a centros culturais”, disse Molon.

Roteirista de cinema e TV, o dramaturgo Alcione Araújo apontou a existência de uma crise na relação entre os dois setores. “A solução não é fácil nem imediata. Não são somente os alunos que estão fora da vida cultural, mas também os professores”, disse. Eliana Yunes, professora de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), definiu a Cultura como “a matéria-prima da Educação”. “Certamente quem não vivencia a Cultura não tem material para ensinar ou aprender. Ela precisa ser incorporada como prática de vida no cotidiano das pessoas. A cultura é para ser apreciada e transferida como uma prática de vida”, enfatizou.

A falta de equipamentos culturais foi outro ponto criticado durante a audiência. Segundo José Carlos Barbosa de Oliveira, consultor do Instituto Herbert Levy, 90% dos municípios brasileiros não possuem teatros, 95% não têm sequer uma sala de cinema e 94% não contam com museu algum. “A primeira barreira que precisa ser vencida para que a Cultura e a Educação voltem a caminhar juntas é a barreira social, socioeconômica. Muitas pessoas não sabem, por exemplo, que os museus federais são gratuitos aos domingos. Se o passe livre for ampliado, estudantes de baixa renda poderão ter acesso a programas culturais com custo zero”, frisou.

A subsecretária de Comunicação e Projetos da Secretaria de Estado de Educação, Delânia Cavalcante, informou que a primeira meta da secretaria foi desenvolver projetos em parceria com a Secretaria de Cultura. “Hoje temos três projetos em andamento que cuidam tanto da questão da linguagem como da questão da identidade cultural dos nossos alunos e professores: o ‘A gente se vê no museu’, o ‘Cinema para todos’ e os ‘Núcleos de Cultura na escola’”, explicou Delânia.

Trajetória

@comte_educacao

Informativos em PDF

Fique por dentro do boletim informativo Comte, clique e veja.